#ChegaDeAssédio


Vamos falar hoje de algo sério? Com essa fase de apoio de mulheres para com outras mulheres, nos sentimos mais confortáveis de abrir o jogo e contar fatos da nossa infância que até hoje nos despedaçam.

Vou falar de abuso sexual. Se eu sofri? Muito. Por amigos? Não. Por família? Sim.

Na minha "época" não havia muitas pessoas que explicasse o que era e como era, aprendíamos que abuso sexual era quando se chegava ao estupro, mas não é só isso. Hoje para essa nova geração há meios de saber exatamente o que é e o que você pode estar sofrendo mais claramente. Aprendi com o tempo que passada de mão sem consentimento, palavras chulas e de baixo calão relacionado ao nosso sexo é abuso sexual, não precisa chegar ao abuso por completo. Sofreu qualquer ato sexual que não goste, é abuso.

Quando sofri, minha mãe sempre tentou evitar ao máximo, não foi culpa dela, ela sabia exatamente o que eu estava sofrendo e tentou me afastar disso, mas outros membros da minha família não ajudaram.

Meu primo, hoje falecido, me tocava, me agarrava, tentou por inúmeras vezes me beijar e quando se conta isso para uma mãe ou pai dessa pessoa, ela simplesmente fala que a culpa é sua. Ouvi várias vezes a mesma frase "Natalia, ele está brincando, você é besta, para de ser chata menina e brinca com ele" ou "Você é muito fresca". Não, não sou fresca, sou uma mulher exigindo respeito.

E não foi só de um primo isso. Nojento. Tenho repulsa só de lembrar.

Qualquer forma que te agridem, verbalmente ou fisicamente é abuso e merece ser denunciado e punido. Não passe por cima disso porque é um amigo ou parente, eles não perdoaram você, porque deve fazer o mesmo? Lute pelo seu direito e exija respeito por você e pelo seu corpo.

Minha mãe o que fez? Por fim conseguiu evitar o pior e estou livre disso.

Mulheres, isso é mais comum do que deveria ser, vamos lutar por um mundo de respeito entre os gêneros.


#MexeuComUmaMexeuComTodas


#ChegaDeAssédio

You Might Also Like

0 comentários